Botafogo em debate
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos

Botafogo bate o Olaria e mantém 100%

Ir em baixo

Botafogo bate o Olaria e mantém 100% Empty Botafogo bate o Olaria e mantém 100%

Mensagem por vbm Dom Jan 30 2011, 11:22

Botafogo bate o Olaria e mantém 100%

Uruguaio faz dois gols e é destaque em vitória por 3 a 1 do Glorioso, que deixou o campo aplaudido. Somália, porém, não se livra das vaias

Botafogo bate o Olaria e mantém 100% Loco-Abreu-Foto-Cleber-Mendes_LANIMA20110129_0073_1

Os 5.812 botafoguenses que trocaram a praia pelo Engenhão na tarde de calor escaldante no Rio de Janeiro podem até ter sofrido com o sol forte, mas voltaram para casa felizes. Com direito a gol-relâmpago de Renato Cajá aos 13 segundos, cavadinha e dois gols de Loco Abreu, o Botafogo venceu o Olaria por 3 a 1 neste sábado e manteve 100% de aproveitamento em quatro rodadas na Taça Guanabara.
O resultado deixou o Glorioso com 12 pontos, na primeira colocação do Grupo B e 11 gols de saldo (quatro a mais que o Fluminense, que tem nove e encara a Cabofriense neste domingo). O único alvinegro que deixou o gramado tendo do que reclamar foi o volante Somália, vaiado a cada toque na bola. Por outro lado, Alessandro entrou bem e foi ovacionado. Na próxima quarta-feira, o Botafogo encara o Bangu, às 19h30m (de Brasília), em Volta Redonda. O Olaria, com seis pontos, quarto colocado na chave, recebe o Macaé, também quarta-feira, às 17h, na Rua Bariri.

O calor infernal fez com que os torcedores buscassem a sombra, garantiu a venda de água dos ambulantes, tornou o ritmo do primeiro tempo mais lento, mas não afetou em nada a disposição de Renato Cajá. Tanto que o camisa 10 do Botafogo precisou de apenas 13 segundos para brilhar. Logo após o apito inicial, Somália dividiu a bola com um adversário na entrada da área. Cajá vinha em velocidade, recolheu a pelota e acertou o canto direito de Renan: 1 a 0 Botafogo.
Ignorar o calor e apostar na correria parecia ser a estratégia adotada pelo time de Joel Santana. Abusando das viradas de jogo e das subidas de Lucas e Somália, o Botafogo ditava o ritmo. Faltava, no entanto, criatividade, e os cruzamentos para área não surtiam efeito. Com prazo de validade por causa da temperatura, a correria não durou muito, a partida passou a ser mais cadenciada, com o Olaria saindo para jogar.
Abusados, os meias Felipe e Renan Silva davam trabalho para a defesa do Glorioso, e o time da rua Bariri tomou conta das ações após o tempo técnico. Nada, porém, que levasse muito perigo ao gol de Jefferson. Principalmente pela boa atuação de Antônio Carlos.
Sem muita ousadia, o Botafogo dependia de lampejos de Renato Cajá para chegar ao ataque. E esses foram raros até o fim do primeiro tempo. Resultado: vitória magra e algumas vaias.

Na volta para o segundo tempo, Joel Santana resolveu mandar a equipe para o ataque, mas não abriu mão do esquema com três zagueiros. A opção foi colocar Caio na vaga de Lucas. Não deu muito certo no começo. Com espaço pelas pontas, o Olaria desperdiçou logo nos minutos iniciais grande chance com Waldir, que parou em uma defesa espetacular de Jefferson.
Percebendo que a ausência de um lateral podia lhe causar problemas, Joel trocou Márcio Rosário por Alessandro. Tiro certeiro. Dois minutos depois de entrar em campo, o lateral-direito descolou lindo lançamento e deixou Loco Abreu na cara do gol. O uruguaio chutou firme de canhota para ampliar, aos oito.
A relação de Alessandro com a torcida na partida, por sinal, chamou a atenção. Vaiado há até bem pouco tempo, ele foi ovacionado a cada toque na bola e teve seu nome gritado nas arquibancadas. Enquanto isso, o Olaria seguia apostando na dupla Renan Silva e Felipe. Deu certo aos dez minutos, quando o segundo precisou de apenas um toque para deixar Vinícius na boa para diminuir: 2 a 1. A defesa alvinegra pediu impedimento, mas o jogador, aparentemente, estava na mesma linha que a bola.
Empolgado, o time da Bariri se mandou todo para o ataque. E foi punido na tentativa do empate. Aos 14, Renato Cajá aproveitou bobeada e lançou Loco Abreu, que partiu em disparada da linha do meio-campo, invadiu a área e deu sua tradicional cavadinha (dessa vez com a bola rolando) para vencer Renan e levar os botafoguenses ao delírio.

A vantagem fez com que o Botafogo administrasse a partida e se lançasse apenas em contra-ataque nos espaços deixado pelo Olaria, que vendia caro a derrota. Foi quando Jefferson assumiu o papel de protagonista. O goleiro-capoeirista exibiu toda sua elasticidade em defesas difíceis por cima e por baixo. Por outro lado, Somália, que errou inúmeros passes na segunda etapa, passou a ser vaiado a cada toque na bola.
A esta altura, o calor já não era mais tão rigoroso, o torcedor já tinha a tarde mais feliz e os cantos das arquibancadas já eram mais fortes. A cada defesa de Jefferson, pedidos de convocação para Seleção. E durante todo o tempo, gritos de “mais um”. O quarto gol não saiu. Mas não fez falta. A festa estava garantida. E os 100% de aproveitamento também.

FICHA TÉCNICA:


BOTAFOGO 3 X 1 OLARIA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 29/1/2011 - 17h (de Brasília)
Árbitro: William de Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Silbert Farias Sisquim (RJ) e Sérgio Waldman (RJ)
Cartões Amarelos: Márcio Rosário, Loco Abreu (BOT); Felipe (OLA)
Cartões Vermelhos:

Público pagante e presente/Renda: 4394 pagantes/ 5812 presentes R$ 103.830, 00

Gols: (BOT) Renato Cajá (13''/2°T) Loco Abreu (9'/2°T) (23'/2°T) ; (OLA) Vinícius (11'/2°T)

BOTAFOGO: Jefferson; João Filipe, Antônio Carlos e Márcio Rosário (Alessandro); Lucas (Caio), Marcelo Mattos, Bruno, Renato Cajá (Araruama) e Somália; Herrera e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

OLARIA: Renan Moura, Ivan, Thiago Eleutério, Rafael e Amarildo; David, Victor, Renan Silva e Danilo (Vinícius); Waldir (Renato) e Felipe. Técnico: Luiz Antônio Ferreira.

__________________________________________________
Botafogo bate o Olaria e mantém 100% Botafogoemdebatemenor
"Great spirits have always encountered violent opposition from mediocre minds. The mediocre mind is incapable of understanding the man who refuses to bow blindly to conventional prejudices and chooses instead to express his opinions courageously and honestly."
Albert Einstein.
vbm
vbm
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 2602
Data de inscrição : 27/03/2009
Localização : Nem mesmo eu sei

http://www.biostery.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum